quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

sexagésimo primeiro.

Um brinde aos amores adolescentes de quem fala mais do que sente.
Paciência.
Aos egoísmos remanescentes e todos os autocondescendentes.
Um brinde, do qual não compartilho.
Para a conveniência de minha própria existência, invisto em estratégica desconvivência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário